Translate

Miley cyrus é capa da Fashion Magazine de novembro.

Photographed by Chris Nicholls. Fashion editor, Zeina Esmail. Miley Cyrus wears a dress, $3,295, by KaufmanFranco. Bra, $275, and briefs, $295, both by Dolce&Gabbana. Two thin bangles on left arm, $225 each, and ring on middle finger of left hand, $400, all by Jennifer Fisher. Hair by Brant Mayfield for soloartists.com/ShuUemura Art of Hair. Makeup by Denika Bedrossian for Crosby Carter Management/Tarte. Fashion assistant, Amy Mach.

Dez dias após a performance polêmica de Miley Cyrus no MTV Video Music Awards, a revista FASHION fotografou a jovem artista de apenas 20 anos, dona do topo das paradas da música pop atual, para a edição de Novembro da revista.
O editor Ellio Iannacci estava no set do photoshoot para fazer uma entrevista profunda com a cantora, que se expôs de uma forma radical aos críticos e blogueiros do mundo da fama para lançar seu disco, “Bangerz”, e para se livrar de sua antiga imagem como ídola adolescente. Aqui está uma pequena prévia da nossa entrevista com a próxima capa que chega às bancas de todo país no dia 7 de Outubro de 2013.
Sobre moda: “Eu posso olhar várias roupas e dizer ‘Não, isso em mim não fica bom’, de imediato. Eu sou flexível e controladora quando o assunto é meu trabalho e minha imagem, especialmente quando se trata de moda. Eu tenho um estilo muito específico e acho que quem sabe usufruir da moda, é elegante. Gosto de misturar peças vintage Celine ou peças da Chanel e fazer um visual moderno e fresco, gosto de fazer um vintage punk.”
Sobre o MTV Video Music Awards: “Eu estava tentando dar um tapa na bunda do Robin, mas ninguém viu! Acredite em mim! A MTV deve ter editado, eles cortaram algumas coisas que eu fiz, mas mesmo assim, estou orgulhosa da minha performance. Eu sinto que aquela música [We Can't Stop] é algo do passado agora. Eu poderia ter feito como os outros artistas fizeram naquela noite, mas do meu jeito causou uma repercussão imensa.”
Aos críticos e “concorrentes”: “Eu me sinto como se estivesse em um país diferente agora. Quando se trata de crítica, tenho minha opinião e realmente acho que não trabalho para competir com outros artistas. Eu penso que devo fazer o meu, da maneira que eu acho certa, mas se não há concorrência não há razão para trabalhar duro, afinal, em um escritório todo mundo está tentando ser o chefe. O mesmo acontece com o mundo da música.
Sobre “Drive”, uma canção sobre seu relacionamento com o ex-namorado, Liam Hemsworth: “Eu estava trabalhando no dia dos namorados, e escrevi isso naquele dia. É uma música sobre a necessidade de deixar alguém mas não querer se machucar fora do relacionamento. É um momento em que você quer sair, mas não pode. É, também, sobre seguir em frente”.
Sobre os artistas que alimentam sua visão: “Terry Richardson filmou o vídeo de “Wrecking Ball” e ele captura força contra beleza. As mulheres são sempre o ponto forte do seu trabalho. Eu estava inspirada e viciada no trabalho de Ryan McGinley, quem produziu We Can’t Stop. Todd James foi quem criou todos os ursos de pelúcia para o VMA e quando eles estavam prontos, houve uma grande emoção, era uma das coisas pelas quais eu mais estava esperando para as pessoas focarem. Eu estava esperando eles pensarem tipo ‘Miley pode estar lá fora, balançando a bunda e se divertindo, mas ela sabe como projetar um show’. Algumas pessoas só viram os ursos de pelúcia, mas não focaram nos detalhes, e isso mexeu comigo, as pessoas poderiam abrir os olhos um pouco mais e enxergar meu trabalho como ele realmente é”
Ao assumir o conselho de Pharrell Williams: “Eu encontrei o que usar no tapete vermelho do VMA com Pharrell. Era um lançamento de 1992, o ano em que eu nasci, e era da Dolce e Gabbana. Ele viu e me disse ‘Você deve comprar isto’. Eu acho que o importante é executar melhor a opinião das pessoas, sem deixar que ela nos mude. A moda é o que me faz ser diferente dos outros”.

Share this:

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário